Lectio Divina: Anunciar... a "Graça"!

Lectio Divina - 11/06/16 - 10º Sábado do Tempo Comum - São Barnabé

Anunciar... a "Graça"!
"Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’." (Mateus 10, 7).
Presto atenção no que estou anunciando aos demais no "meu caminho"?
Que conteúdo estou transmitindo tanto por palavras quanto por ações?
Anuncio o Reino dos Céus, com a vitória do Amor e a plenitude da Esperança... ou atenho-me ao "meu reino" dos homens?

"Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios." (Mateus 10, 8a).
"Curo"... com a presença ?
"Ressuscito"... com a Palavra ?
"Purifico"... com a Verdade ?
"Expulso"... o que divide?
"De graça recebestes, de graça deveis dar!" (Mateus 10, 8b)
O que de graça recebi?
Tudo... e a Vida Eterna!
E o que de graça devo dar?
Tudo... e a vida terrena!
"Não leveis ouro nem prata nem dinheiro nos vossos cintos; nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento." (Mateus 10, 9-10).
Ouro, prata, dinheiro, sacola, túnicas, sandálias, bastão... necessito disso para Evangelizar?
Ou, ao contrário, podem até me atrapalhar?
Deus não é... Graça?
Peço a Sua Graça, utilizo-a... ou deixo-a passar ?
"Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida." (Mateus 10, 11)
E a Graça ofertada, pedida e aproveitada não se multiplica na dignidade do irmão e não se concretiza em "comum-união"?
"Ao entrardes numa casa, saudai-a." (Mateus 10, 12).
Saudar também não significa desejar a saúde de corpo e de alma?
Desejo-a e levo-a comigo onde estiver?
Saudar igualmente não significa reverenciar o Cristo que está no irmão?
"Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz”. (Mateus 10, 13)
Qual é a dignidade necessária para se receber a Paz?
Não é o desejo da Verdade e a partilha da Caridade?
E a Paz ofertada "de graça e por graça" pode se perder?
Jamais!
E é o que testemunha Barnabé junto a Saulo/Paulo...
"Quando Barnabé chegou (a Antioquia) e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fiéis ao Senhor, com firmeza de coração. É que ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E uma grande multidão aderiu ao Senhor." (Atos 11, 23-24).
E por isso...
"Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de cristãos." (Atos 11, 26c).
Mas a Graça de Deus prosseguiu o Seu caminho...
"Um dia, enquanto celebravam a liturgia, em honra do Senhor, e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo, e deixaram-nos partir." (Atos 13, 3).
Na Graça, dou de graça o que de graça recebi?
Afinal... Tudo é Graça!
Senhor,
és minha Graça,
presente,
pedida...
e ofertada!
Que assim seja!

Texto: Dom Geraldo Gonzalez, OSB
Locução: Alan Lucas de Lima