Podcast Play Pequeno Monge Agostiniano – Tema do 16º Domingo do Tempo Comum – Ano B



Leituras:



Como o retorno Doze de sua primeira viagem missionária no Evangelho de hoje, nossas leituras continua a refletir sobre a autoridade e missão da Igreja.
Jeremias diz na primeira leitura que líderes de Israel, através de impiedade e fantasiosos ensinamentos, tiveram a enganar e espalhou o povo de Deus. Ele promete Deus enviará um pastor, um rei e filho de Davi, para reunir as ovelhas perdidas e nomear para eles novos pastores (ver Ezequiel 34, 23).
A multidão reunida na grama verde (ver Marcos 6, 39) no Evangelho de hoje é o início do remanescente que Jeremias prometeu seriam trazidos de volta ao prado de Israel. As pessoas parecem sentir que Jesus é o Senhor, o bom pastor (ver João 10, 11), o rei que estive esperando por (ver Oséias 3, 1-5).
Jesus é levado para a pena, vendo-os como ovelhas sem pastor. Esta frase foi usada por Moisés para descrever a necessidade de Israel para um pastor para sucedê-lo (ver Números 27,17). E como Moisés designou Josué, Jesus designou Doze para continuar pastorear o Seu povo na terra.
Jesus tinha dito que havia outras ovelhas que não pertencem ao rebanho de Israel, mas iria ouvir a Sua voz e se unirá a um bando de um só pastor (ver João 10, 16). No plano de Deus, a Igreja é procurar primeiro as ovelhas perdidas da casa de Israel, e, em seguida, para trazer todas as nações para o rebanho (ver Atos 13, 36; Romanos 1,16).
Paul, também, na Epístola de hoje, vê a Igreja como uma nova criação, na qual as nações que antes eram longe de Deus estão unidos como "uma nova pessoa" com os filhos de Israel.
Como nós cantamos no Salmo de hoje, através da Igreja, o Senhor, o nosso bom pastor, ainda leva as pessoas aos pastos verdejantes do reino, para as águas tranquilas do batismo; Ele ainda unge com o óleo de confirmação, e espalha a mesa eucarística antes de todas as pessoas, enchendo seus copos a transbordar.
Até o próximo Domingo com: A Leitura Cristã da Bíblia – Catequese Bíblico Missionária